quinta-feira, 19 de novembro de 2009

SINTERKLAAS




foto by Monica Cella


Uma estória sobre o Natal...


Nessa época do ano inevitavelmente a gente mergulha num clima diferente, de cores, sabores, cheiros e costumes. Vivendo num país onde o frio é presença constante nesse período tudo isso se intensifica e o Natal ganha ares de conto de fadas, com todos os ingredientes necessários pra encher o dia a dia de calor e poesia.
Caminhar pelas ruas é um estímulo aos sentidos, barraquinhas de oliebollen com aquele cheirinho típico (uma espécie de bolinho de chuva, donuts ou sonho) se espalham pela cidade, enfeitando e alimentando o corpo e o coração. Decorações festivas, vermelho, verde e dourado, luzes piscando, vitrines enfeitadas vestem roupa de festa e se preparam com tudo o que tem de melhor enchendo os olhos dos passantes, roubando seus desejos e invadindo seus sonhos.
As lojas abastecem seus estoques com produtos típicos da data: chocolates em forma de letras, bonecos do Sinterklaas, do Zwart Piet, fantasias para as crianças, que esperam ansiosamente pelo dia certo pra colocar o sapatinho na porta de casa, junto com uma cenourinha pro cavalo do Sinterklaas segundo a tradição na Holanda.
A imaginação corre solta por caminhos de fantasia e vai construindo contos, revivendo estórias, relembrando momentos...
Adultos e crianças caminham lado a lado, braços dados, coração batendo forte, se encontram num momento mágico de poesia, sem tempo nem espaço, chamado infância.
O frio vai chegando lentamente envolvendo tudo e todos ao seu redor. Chuva, vento e neve... A natureza adormece compassiva por um longo período de inverno, de recolhimento. 
Convidando a todos a mudar o curso, desacelerar o passo.
Ficar em casa se torna o programa mais prazeroso. Ah, o aconchego do lar! aquece o corpo e a alma. As pessoas tendem a procurar a companhia uns dos outros com mais freqüência, todos tem mais tempo pra ficar juntos, compartilhar coisas e sorrisos. Alimento, boa conversa uma bebida quente, um cobertor macio, ficar em torno do fogo, procurar chamego.
Natal e frio combinam, uma dupla perfeita, os sentimentos que conectam ambos falam a mesma linguagem. Reflexão, proximidade, calor, aconchego, recolhimento. 
Pra mim pelo menos Natal é tempo de energia positiva no ar. Cresci com essa atmosfera dentro de casa. Sempre ajudando minha mãe montar a árvore de Natal, decorar a casa, preparar as comidas, receber com carinho e coração aberto a família toda e alguns amigos também. Tempo de alegrias e risos de crianças espalhados pelo ar.
Apesar do apelo comercial da data  acredito que ainda existe espaço para sentimentos mais humanos. 
A mensagem subliminar de todo o acontecimento que é o Natal é uma mensagem positiva, de esperança e humanidade, de que ainda é possível acreditar.

Diz a história...

... que a muito tempo atrás em 275 a.C na antiga cidade de Patara, na costa da Licia, atual Turquia, nasceu Nicholas, filho de família rica teve uma educação religiosa dentro da fé cristã. Seus pais morreram numa epidemia quando ele era muito jovem ainda e Nicholas seguindo as palavras de Cristo: “vende o que tens e dá o dinheiro aos pobres” decidiu distribuir aos carentes e necessitados toda a herança recebida, de modo discreto a fim de que ninguém soubesse. Ficou conhecido por sua generosidade e dedicação aos humildes. Dedicou sua vida a causa dos necessitados. Tornou-se Bispo de Myra ainda muito jovem. Sob o Império de Diocleciano, foi perseguido e preso. Muitas estórias são contadas a respeito de seus milagres. A mais conhecida é a de um pai que tinha três filhas, e sem ter o devido dote para oferecer aos pretendentes a marido, temia ter que oferecer as filhas para serem vendidas como escravas. Assim misteriosamente apareceram em três ocasiões diferentes, três sacos de ouro, que teriam sido lançados para dentro da casa por uma janela aberta. Supõe-se que o saco teria caído dentro de uma meia ou sapato que naquela época eram colocados perto da lareira para secar. Daí vem à tradição de colocar meias penduradas na lareira ou sapatos na porta de casa á espera de presentes. O tempo passou e o jovem ficou conhecido como Saint Nicholas, místico-mito-lenda-ou-verdade que atravessa séculos e mantém até hoje milhares de pessoas em comemoração pelo mundo, enaltecendo sua imagem através da fé ou de ritos e tradições.
Faleceu em 6 de Dezembro em 343 d.C em Myra. Nessa data ou no dia anterior em alguns lugares é comemorado seu dia. Dessa “lenda” nasceu o Santa Claus, que por sua vez serviu de inspiração para a invenção do Papai Noel (esse criado por um publicitário norte americano apenas com o intuito de incrementar as vendas do comércio).

As diferenças entre os dois personagens, no entanto é curiosa...

*De Papai Noel (Santa Claus) diz-se que vem pelos ares, voando do Pólo Norte. 
Saint Nicholas ao contrário caminhou sobre a terra ajudando quem mais precisava.
*Papai Noel pertence a um momento da vida, a infância. Saint Nicholas é pra toda a vida, um símbolo de fé e de esperança no humano.
*Papai Noel foi inventado pra incrementar as vendas do comércio. Saint Nicholas viveu uma história de amor, paz, generosidade e abnegação em favor dos humildes.
*Papai Noel incentiva o consumo, Saint Nicholas encoraja a compaixão.

Interessante notar o culto a personagens tão diferentes em culturas também distintas.
Nosso Papai Noel no Brasil foi “importado” dos Estados Unidos onde tudo começou tendo como inspiração Saint Nicholas. Os imigrantes holandeses quando foram para a América levaram junto a tradição de Sinterklaas (Saint Nicholas).
Nos Países Baixos (Holanda) a tradição é mantida através do Sinterklaas. Porém a história toda ganha incrementos de fantasia e pitadas surreais: aqui o Sinterklaas vem da Espanha num navio a vapor juntamente com seus ajudantes chamados de Zwart Piet. Figuras em roupas medievais com o rosto pintado de preto, boca vermelha e brinco de argola - talvez uma referência a fuligem da chaminé, alguns dizem que eles são descendentes dos mouros.
No dia 15 de Novembro Sinterklaas chega em muitas cidades abrindo oficialmente a temporada de Natal e de férias. Desfila pelas ruas em seu cavalo branco tendo seus ajudantes sempre ao lado jogando biscoitos de canela para todos. Os Zwart Piets são muito brincalhões e na verdade existem tipos diferentes: o sábio, o maroto, o gozador, o atrapalhado, etc. 
É um momento muito comemorado e festejado por crianças e adultos. 
A data principal do Natal é dia 5 de Dezembro quando festeja-se com uma celebração em família e acontece a troca de presentes acompanhada com poemas e versinhos. Algo como um amigo secreto porém sem revelar a identidade do amigo. Através dos versos escritos (especialmente para cada pessoa de acordo com seu jeito, estilo e personalidade e com uma pitada de humor) cada um tem que encontrar seu presente. O importante não é o valor do presente mas sim a troca de versos e a comemoração. As crianças na noite anterior colocam um par de sapatos na porta de casa junto com uma cenoura ou açúcar pro cavalo do Sinterklaas e assim esperam ganhar doces e presentes no dia seguinte.
Também é tradição na Holanda presentear uns aos outros com letras de chocolate com a inicial do nome. Anualmente milhares de letras são vendidas mantendo a tradição firme e forte. Ah! e os cartões:aqui como em nenhum outro lugar, eu acredito, tudo é comemorado com o velho e bom cartão...de papel.

Pesquisa feita no site Saint Nicholas Center









*fotos by Google imagens

quarta-feira, 4 de novembro de 2009

terça-feira, 3 de novembro de 2009

ARTE PRA PENSAR

ARTE PRA PENSAR...


HENRI DONO nasceu em Yogyakarta, a sul de Java (Indonésia) em 1960.
A cidade é organizada sob a influência da cultura javanesa e vive ainda sob o poder exercido por séculos de sultanato, ou seja, os sultões que comandam o poder.
A cidade também é o centro da arte contemporânea javanesa e indonésia, numa rica fusão de elementos.
Dono estudou “wayang kulit” (uma espécie de teatro de bonecos de sombras, típicos da cultura Indonésia e local) com o mestre Sukasman, no Instituto de Artes Yogyakarta Indonésia 1980-87 e 1987-88.
Seu início nas artes foi como pintor, associado a uma geração que trouxe para a arte elementos tradicionais wayang juntamente com elementos figurativos e outros da modernidade ocidental do pós-expressionismo.
Posteriormente começou a fazer instalações e performances e a usar em seu trabalho o conhecimento prévio que tinha em animações. Suas instalações passaram a ter som e vídeo.Também tem forte influência de cartoons como Flash Gordon. 
Seu reconhecimento internacional veio na década de noventa quando participou de Bienais e expôs seu trabalho em galerias ao redor do mundo.
Seus trabalhos (a grande maioria instalações) refletem todo esse caldeirão de influências que Henri Dono teve ao longo de sua vida e de sua formação.
Os “wayang kulit”, tem uma presença central na sua poética, direta ou indiretamente. E através deles, o artista metafóricamente faz suas reflexões políticas e sociais sempre permeados com humor.Outros elementos da cultura javanesa também aparecem nos seus trabalhos. Ás vezes de forma direta e outras indiretamente. 
Dono usa aparatos de simples tecnologia como televisões, rádios e outros aparelhos adaptados. Cabeças de bonecos moldadas na própria cabeça do artista repetidas em séries, maquiadas segundo figuras míticas da cultura javanesa (Punakawan p.ex., personagens do Wayang Kulit), anjos, políticos, estudantes e outras figuras fazem parte do mundo poético de Dono.
Das suas instalações provêm sons misteriosos e instigantes. Através de suas imagens podemos nos relacionar com o imaginário de Dono e suas investigações a respeito de questões sociais e políticas que no seu trabalho estão fortemente presentes, diretamente relacionadas à situação política de seu país.
Através da sua cultura o artista estabelece um diálogo universal e atual sobre questões presentes em todas as sociedades: democracia, opressão, liberdade, massificação, corrupção, o papel do indivíduo no meio social, etc. Também está presente em alguma obras, questionamentos sobre o próprio mundo da arte e seus meios de circulação, como o museu, mais especificamente o museu antroplógico.
O trabalho de Dono, não é simplesmente a arte pela arte ou puramente o deleite estético. Ao contrário, é uma arte engajada, feita para pensar, instigar a reflexão. Para ser mais bem fruída, é melhor um conhecimento prévio do trabalho de Dono e suas implicações políticas e sociais.
*Wayang Kulit- a palavra wayang é um termo genérico para teatro na Indonésia (Wikipédia), teatro de sombras. São bonecos feitos com couro de búfalo e montados com varetas de bambu. È usado o princípio de luz e sombra na apresentação dos bonecos. Sobre eles é projetada uma fonte de luz que pode ser lâmpada a óleo ou elétrica, e as sombras lançadas sobre uma tela ou fundo. Tradicionalmente são apresentados espetáculos baseados em contos românticos ou adaptações dos clássicos indianos "Mahabarata" e "Ramayana" ou também estórias ou acontecimentos locais com críticas sociais.  
*"Punakawan é um único tipo de personagem no teatro de sombras indonésio. Eles geralmente representam o povo. Os personagens de Punakawan podem indicar vários papéis, como os assessores do guerreiro, os artistas, críticos sociais e palhaços. Uma fonte de verdade e sabedoria. Em wayang javanês, os personagens punakawan consistem Semar, Gareng, Bagong e Petruk. Em wayang balinês no outro lado, os caracteres são constituídos por Malen e Merdah (as empregadas de Pandawa) e Delem e Sangut (as empregadas de kurawa)."
O condutor da performance ou “Tok Dalang" é quem decide qual a direção a ser tomada.Com uma orquestra de fundo ele narra os acontecimentos entoando-os conforme a dramaticidade de cada cena, através de sua voz.
Os Wayang Kulit estão presentes na cultura do Sudeste da Ásia a séculos atrás, na forma de bonecos ou mesmo em pinturas murais. Wayang Kulit foram considerados pela UNESCO como obra-prima do Património Oral e Imaterial da Humanidade.
*extraído no site punakawan


                                               Teatro Wayang Kulit

HENRI DONO – The Dono Code
Onde: TROPENMUSEUM
Linnaeusstraat 2 - 1092 CK – Amsterdam/ Aberto diariamente das10h as 17h
Como chegar: Tram 3, 7, 9, 10, 14 e ônibus 22
Quando: 10 de Setembro 2009 a 28 Fevereiro 2010