segunda-feira, 5 de novembro de 2012

Museumnacht em Amsterdam


comemorando as artes, com arte!






Acontece em Amsterdam todos os anos no primeiro Sábado de Novembro o Museumnacht (Noite dos Museus). Por volta de cinquenta museus da cidade ficam abertos das 7 da noite às 2 da manhã com uma programação especialmente feita para a data. Esse foi o 13º ano do evento. 
Uma festa para o deleite dos sentidos,  alegria para os amantes das artes e uma oportunidade para aqueles que não tem o hábito ou tempo suficiente pra ir ao museu. Aos apreciadores das mais variadas modalidades de arte como pintura, música, poesia, performance, o convite é irresistível. 
A idéia é atrair o público a fim de celebrar a arte, quebrar a barreira entre espectador/arte/artista, em última instância propiciar o encontro do público com a arte nas mais variadas formas. O evento foi criado inicialmente focando o público jovem na faixa de 18-35 anos e também um público novo, aqueles que talvez não tem – ainda -  o hábito de ir a museus, a fim de incentivar, estimular o contato e interação com as artes. 
A abordagem da programação tem clima de festa e gira em torno da celebração cultural. Apreciar arte de forma descontraída, leve e solta, sem barreiras pseudo-intelectuais que muitas vezes afastam o público dos lugares onde a arte acontece. O museu se oferece como um lugar de acesso livre, convidativo, um lugar de experiências. Atividades que envolvem o espectador como um agente ativo na apreciação/entendimento da arte. 
Concertos, workshops, tours guiados, performances, DJs, comidinhas e bebidas, tudo à disposição para tornar o evento mais atrativo entre um e outro museu. 
Juntar um grupo de amigos para fazer alguns lugares é uma idéia legal, mas escolher entre tantas opções pode te deixar  hesitante. Com um pouco de informação e programação antecipada fica mais fácil fazer as escolhas certas. Afinal rodar a cidade tentando fazer 50 lugares é impossível. 
Outra super dica que funciona muito bem é ir de bicicleta. A maioria dos museus se encontram na grande área central, ir de um lugar a outro de bike é tarefa fácil, rápida e divertida. A prefeitura disponibiliza tram, metrô e ônibus de graça para quem é portador do bilhete especial para o Museumnacht. Mas convenhamos, perder seu precioso tempo esperando pelo tram ou ônibus numa noite em que tempo é lucro (lucro cultural, claro!) não é nada atrativo, certo? Portanto deixe-se envolver pelo clima da festa e da cidade, pegue sua bike e se jogue na noite.
Para os festeiros de plantão a festa continua após as 2am em muitas after-parties espalhadas pela cidade.
Os tickets custam 17,50 euros com entrada válida em todos os museus, transportes especiais e descontos nas after-parties. Podem ser adquiridos pelo site do evento Museumnacht ou no UITBURO na Leidseinplein. Comprá-los com antecedência é boa opção já que o público prestigia o evento. Seu ingresso será trocado por uma pulseirinha no primeiro museu que você visitar dando-lhe acesso a todos os demais museus. O ticket continua valendo após o MUSEUMNACHT para você visitar um (apenas um) museu de sua escolha dentre os participantes (menos o ArtisZoo) até o final do ano corrente.



                                                    HERMITAGE MUSEUM


SINAGOGA PORTUGUESA: concerto de música erudita com iluminação a luz de velas (não existe iluminação elétrica na Sinagoga)


                                                    HERMITAGE


                                                    STEDELIJK


Alguns museus participantes: National Rijksmuseum, Stedelijk Museum, Tropenmuseum, Foam, Science Center NEMO, Artis Royal Zoo, Amsterdam Museum, Hermitage e Jewish Historical Museum, Anne Frank House, Bijbels Museum, Allard Pierson Museum, Diamant Museum, De Appel Centre Arts, etc, etc...
Aquia lista completa de2012. 

domingo, 4 de novembro de 2012

Stedelijk Museum Amsterdam


O STEDELIJK está de volta!




Demorou mas valeu a pena a espera de nove longos anos em obras de restauração e ampliação. O museu está aberto e traz ao publico sua vasta coleção de arte moderna, contemporânea, design e artes aplicadas. 
O Stedelijk Museum de Amsterdam fica localizado na Museumplein, literalmente a praça dos museus. A enorme área verde é destino turístico certo. Além de abrigar as famosas letronas vermelhas e brancas IAMSTERDAM onde todos querem fotografar, compreende outras 3 atrações da cidade: O Rijksmuseum (Rembrandt, Vermeer, Averkamp, etc), O Van Gogh Museum ( obras do artista e exibições temporárias) e o Concertgebow (teatro de musica erudita, concertos). 


Museumplein


Fechado para reformas e ampliação das instalações o museu agora tem uma nova parte anexa, polemicamente apelidada de “a banheira”. Criada pelo arquiteto Mels Crowel do Benthem Crowels Architets a nova parte é uma imponente construção aérea branca que lembra uma banheira de fibra. Flutuando sobre o grande hall de entrada do museu “a banheira” destaca-se imediatamente de seu entorno na Museumplein. Na verdade concordo que a idéia de Crowel ficou um tanto quanto exótica. Por um lado casa bem com a proposta do lugar já que o museu abriga uma vasta coleção de arte contemporânea e é local de discussão e acontecimento da arte contemporânea - nesse caso a discussão já começa pela nova arquitetura. Mas nesse ponto acho que sou um pouco mais conservadora, na minha modesta opinião o novo anexo abafa completamente a belíssima fachada Neoclássica do antigo Stedelijk. Uma pena! Apesar de ser favorável a mescla moderno-antigo acho que nesse caso extrapolou para o excêntrico.

Polêmicas à parte o museu está fervilhando e o público comparece diariamente, faça chuva ou faça sol as filas são intermináveis. Um ótimo termômetro sobre o interesse cultural de uma Nação, certo? Por falar nisso, é muito legal perceber esse movimento das pessoas em relação ao museu (não só ao Stedelijk, mas aos museus em geral). Ir ao museu é uma atividade habitual, tipo programa de fim de semana. A família com as crianças, o casal de namorados, um grupo de amigos, um casal de idade...aqui todos vão ao museu! Que maravilha viver isso e saber da importância que a arte ocupa na vida cotidiana das pessoas. Logicamente isso faz parte da cultura local, educação ao longo de anos de tradição num país que tem museus, grandes artistas e arte como um dos pilares da educação do povo.


                                          Stedelijk Museum e a "big bathtub" (*photo by John Lewis Marshall)
   

Voltando ao museu...
Na galeria térrea do antigo prédio, logo na entrada (onde ficava o antigo café do Stedelijk) um mural impactante de Karel Appel - o prestigiado artista do Cobra - recobre as paredes. O Cobra tem uma galeria inteira com obras de seus artistas representantes.
O andar térreo está dividido em duas áreas: uma delas abriga obras do período de 1870 a 1960. Artistas como Vincent van Gogh, Wassily Kandinsky, Ernst Ludwig Kirchner, Franz Marc, Chaïm Soutine, Marc Chagall, Henri Matisse, Piet Mondrian, Theo van Doesburg, Kazimir Malevich, Charley Toorop, Max Beckmann, Jackson Pollock, Asger Jorn, Karel Appel e os artistas do Cobra. A outra área expõe objetos de design e artes aplicadas. Dividida em três seções: O desenvolvimento do Modernismo 1900-1950; Modernismo Pós Guerra 1950-1980; Pos Modernismo até o presente 1980 em diante.
O segundo andar do antigo prédio histórico abrigará exposições temporárias da vasta coleção do Stedelijk. Obras da década de 60 até o presente com novas aquisições. O mestre Henry Matisse, o revolucionário Robert Raushenberg, Edward Kienholz, Andy Wharol entre outros. Salas inteiras com obras de um único artista como: De Kooning com suas enormes pinturas (que por sinal exigem um local espaçoso para serem mais bem contempladas), Barnet Newman. Marlene Dumas, etc. Entre outros artistas Lee Bontecou, Rene Daniels, Jan Dibbets, Lucio Fontana, Gilbert & George, Philip Guston, Yves Klein, Joseph Kosuth, Brice Marden, Bruce Nauman, Gordon Matta-Clark and Jean Tinguely, as well as new acquisitions by Barbara Bloom, Stanley Brouwn, Marlene Dumas, Dan Flavin, Simone Forti, John Knight, Cady Noland, Martha Rosler, Ger van Elk, Danh Vo and Guido van der Werve.
No andar térreo do novo prédio acontecem exposições temporárias.
Aconselho reservar um bom tempo pra visitar o museu, pois as salas são muitas e enormes. Se você mora em Amsterdam o melhor é visitar o museu em dias diferentes, por partes, dedicando seu tempo para apreciar as obras com calma para ler as informações sobre cada artista ou movimento que estão disponíveis nas paredes. Se você está de passagem pela cidade, escolha algumas salas de maior interesse, por artista ou movimento. Por exemplo, você pode ir direto a determinada sala e depois fazer um tour mais rápido por todo o museu.


                                          Vista interna do Stedelijk -  *Photo by John Lewis Marshall



Blue Green red, 1964-1965, Elsworth Kelly


                                         

* Se você está levando bolsas grandes, mochila ou sombrinha deixe-as no guarda volumes logo à direita após passar o bilhete na catraca digital ou nos armários (moedas de 1 ou 2 euros que são devolvidas no final);
*FOTOGRAFAR é permitido desde que SEM FLASHES OU TRIPÉ;
*telefone celular não é permitido dentro das salas de exposição, somente nas áreas externas as salas;
*alimentos e bebidas são permitidos somente no café (2º andar e no restaurante no térreo);
*Cadeiras de rodas e carrinhos de bebê podem fazer uso do elevador para acessar as diversas salas;
*Tickets online podem ser adquiridos, nesse caso facilita a entrada pulando as enormes filas, são válidos por um ano após a compra; 
*Museumcard é valido ou seja free entrance;
*Segunda feira o museu está FECHADO
 Terça a Quarta Feira - 11h as 17h
 Quinta feira - 11h às 22h
 Sexta, Sábado e Domingo - 10h às 18h
 * O museu oferece também uma programação de palestras, filmes, performances, etc. Confira aqui mais sobre a agenda;